Domingo, 23 de Janeiro de 2011

Até tenho pena (quase)...

Saiu uma nova lei, pelos vistos, que aqui em Espanha as notícias de Portugal não nos chegam tão facilmente, que obriga os médicos, que fazem o seu internato no público, a trabalharem para o estado durante um número de anos igual aos anos que dure o seu internato. Caso não o façam são obrigados a pagar uma indemnização, como pagamento pela sua formação.

Pelo que tenho visto, já é um Deus me livre, que isso não se faz, uma má medida, que estão a ser injustiçados, etc., etc.

Ponto 1: TODA a gente sabe (eles podem ter alguma dificuldade, pois já vêem a sua situação como normal), que a classe médica, é a classe trabalhadora mais privilegiada em Portugal (o “trabalhadora” foi propositado, porque há outras que enfim…). Não me venham com histórias a tentar fazer ver que não é verdade. Numa conversa com 2 amigos meus, futuros médicos, dizia um deles: “Eu aos 5 anos de trabalho espero já estar a tirar 10000 euros ao mês…” Sem fazer qualquer juízo de valor às legítimas pretensões desse meu amigo, digam-me lá se há muitos empregos onde se consiga tamanha recompensa profissional ao fim de 5 anos de trabalho? E claro está, não é a trabalhar no público. O objectivo de um médico (corro o risco da generalização), é trabalhar no privado, pois é aí que ganham realmente a vida. Já ouvi a expressão “vão mamar para o privado” e eles queixam-se que é preconceito. Admito que o possa ser…mas à mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta. E lá está, já passou o tempo em que as pessoas não viam isso. Quando se tem duplo emprego, o trabalho no público é sempre prejudicado! Falo tanto de médicos como de enfermeiros. Pois no privado só os querem se fazem as coisas mesmo bem. E se há tanto interesse em ir para o privado por algum motivo é. Deixemo-nos de hipocrisia!

Eu sei que estudam muito, que não é fácil entrar nem tirar o curso. O meu melhor amigo, um primo meu e outros amigos andam nessa vida e sei o que passaram e passam. Dizer que é o curso mais difícil? Até o admito, mas isto de comparar cursos tem sempre que se lhe diga. Sabe-se muito bem o porquê das notas de acesso serem altíssimas, o que origina uma coisa…muita gente entra apenas porque foram muito bons alunos no secundário (não quero falar aqui de vocações, pois muito pouca gente entra para um curso segundo a sua “vocação” de nascença).

Aqui em Espanha, segundo me disseram, há sítios que a nota de Enfermagem é mais alta que a de Medicina. Quer dizer que o curso de Enfermagem é mais difícil e os enfermeiros que aí tiram o curso deviam ganhar mais que os médicos? Segundo argumentos que já li e ouvi às tantas…atenção, eu não penso assim. Cada profissão deve ganhar consoante a responsabilidade…daí achar que os médicos deviam ganhar mais que todos e os enfermeiros viriam a seguir (tipo um exemplo, médicos 5000 euros…enfermeiros 4500…isto de sermos responsabilizados por erros alheios tem que ter alguma recompensa, pois temos que ter atenção ao nosso trabalho e ao dos outros!). Mas lá está, isto seria apenas hipoteticamente…sei que nunca na vida os enfermeiros vão ganhar de perto isso!

Voltando à questão inicial, de serem obrigados a trabalharem para o Estado…deixem que vos diga uma coisa! Vocês são é uns sortudos! Tanta gente que dava tudo para, ao acabar o curso, ter um lugarzinho no público, não serem obrigados a trabalhar no privado explorador (sim, que muitas vezes para os médicos ganharem o que ganham, há licenciados que não ganham nada…claro a culpa é deles, sou defensor dessa ideia, mas se nenhum deles aceitasse esses postos, quem ia “fazer o que os médicos mandam”?) ou nas caixas de supermercados…e vocês que têm essa oportunidade de ouro, queixam-se? Há coisas que não entendo…

Já ouvi falar numa debandada para o estrangeiro…que ao menos ganham mais. Pode ser que sim… um enfermeiro em Inglaterra também ganha mais, mas não se pode dizer que seja muito lá! Ou seja, eles até podem ir para o estrangeiro ganhar mais, mas conseguir superar o nível de vida que conseguem em Portugal, não me parece. Ah e mais uma coisa…cá fora não esperem que haja a subserviência em relação aos médicos, tida como natural em Portugal. Aqui (falo do meu caso, Espanha) tanto se respeita um médico como um auxiliar…

E para finalizar…não desesperem, que também não são muitos anos de vínculo obrigatório ao estado!

Roído por Queijo Jeitoso às 15:33

Ratoeira do post | favorito
De Joana Fernandes a 25 de Janeiro de 2011 às 14:20
Concordo plenamente com td q foi proferido. E só de pensar na discriminação que nós, Enfermeiros, sofremos em relação ao médicos,ja me revolta. Mas penso que a grande culpa está na população em geral.Tda a gente já esteve doente algumavez na vida, e td a gente ja visitou pelo menos um hospital ou CS e será q essas pessoas n vêem quem realmente está do lado delas??São os Enfermeiros. A quem vão pedir um favor?Ao enfermeiro.Pq o médico....esse é mm so visita de medico. Mas é o SR. Dr e nós somos os enfermeiros,os empregados dos médicos.Enfim.....
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


>‘.’<)---Culpados!

>‘.’<)---Ninhos de papel

>‘.’<)--- Agosto 2015

>‘.’<)--- Março 2015

>‘.’<)--- Julho 2014

>‘.’<)--- Dezembro 2013

>‘.’<)--- Novembro 2013

>‘.’<)--- Julho 2013

>‘.’<)--- Junho 2013

>‘.’<)--- Fevereiro 2013

>‘.’<)--- Outubro 2012

>‘.’<)--- Setembro 2012

>‘.’<)--- Agosto 2012

>‘.’<)--- Julho 2012

>‘.’<)--- Abril 2012

>‘.’<)--- Novembro 2011

>‘.’<)--- Setembro 2011

>‘.’<)--- Julho 2011

>‘.’<)--- Abril 2011

>‘.’<)--- Março 2011

>‘.’<)--- Janeiro 2011

>‘.’<)--- Dezembro 2010

>‘.’<)--- Setembro 2010

>‘.’<)--- Agosto 2010

>‘.’<)--- Junho 2010

>‘.’<)--- Março 2010

>‘.’<)--- Janeiro 2010

>‘.’<)--- Dezembro 2009

>‘.’<)--- Outubro 2009

>‘.’<)--- Setembro 2009

>‘.’<)--- Agosto 2009

>‘.’<)--- Julho 2009

>‘.’<)--- Junho 2009

>‘.’<)--- Maio 2009

>‘.’<)--- Abril 2009

>‘.’<)--- Março 2009

>‘.’<)--- Fevereiro 2009

>‘.’<)--- Janeiro 2009

>‘.’<)--- Dezembro 2008

>‘.’<)--- Novembro 2008

>‘.’<)--- Setembro 2008

>‘.’<)--- Abril 2008

>‘.’<)--- Março 2008

>‘.’<)--- Janeiro 2008

>‘.’<)--- Setembro 2007

>‘.’<)--- Agosto 2007

>‘.’<)--- Junho 2007

>‘.’<)--- Maio 2007

>‘.’<)--- Abril 2007

>‘.’<)--- Fevereiro 2007

>‘.’<)--- Janeiro 2007

>‘.’<)--- Dezembro 2006

>‘.’<)--- Novembro 2006

>‘.’<)--- Outubro 2006

>‘.’<)--- Setembro 2006

>‘.’<)--- Julho 2006

>‘.’<)--- Junho 2006

>‘.’<)---"Tocas"

>‘.’<)---Agosto 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

>‘.’<)---Farejar nesta toca

 

>‘.’<)---Queijos recentes

>‘.’<)--- Composição “As minhas fér...

>‘.’<)--- Considerações do Show (da...

>‘.’<)--- Há Volta...em Fafe!

>‘.’<)--- Passear ou ser passeado.....

>‘.’<)--- O amor e o coração…o fim ...

>‘.’<)--- Marés Vivas…o engodo!

>‘.’<)--- Peculiaridades do dia Rih...

>‘.’<)--- Promoções da Ordem

>‘.’<)--- Prémio Nobel - Mais que j...

>‘.’<)--- O que aconteceu?!

blogs SAPO

>‘.’<)---subscrever feeds